Breaking News
recent

Glossário de A a D

Glossário - Termos Técnicos de A / D

Plantas
flickr_trebol-a

Absorção da água - Quando as gotas de água das chuvas ficam retidas na camada superficial do solo. A água passa a infiltrar-se por efeito da gravidade, principalmente se o solo e o subsolo são porosos.

ACUMULAÇÃO - Processo de deposição de produtos oriundos de erosão ou abrasão de sais e de sedimentos, em massas de água naturais ou artificiais.

Acícula. Folha em forma de agulha, presente nas Coníferas.

Aclimatar - adaptar uma planta a um solo ou clima diferente do seu ideal.

Aclimatação.
(1) Ação ou efeito de aclimar, habituar a um novo clima.
(2) Adaptação de espécies no curso de várias gerações a um ambiente diferente do de suas origens.
(3) Adaptações fisiológicas ou de comportamento de um organismo a mudanças fatores no ambiente; quando a adaptação se refere apenas a uma única variável ambiental, usa-se aclimatação.

Anual - Planta que completa seu ciclo vital em um só período vegetativo, cuja duração não ultrapassa um ano

Aeração - Afofamento da terra, para permitir a entrada de oxigênio até as raízes das plantas.

Afilo - Planta desprovida de folhas ou cujas folhas são imperceptíveis, como por exemplo, o cacto.

Acúleos - formação com aspecto de espinhos da epiderme do vegetal e que se solta do vegetal com facilidade.

ÁGUA ABSORVIDA - Água retida no solo, com propriedades que não diferem, substancialmente, das da água comum.

ÁGUA ALCALINA - Água com PH superior a 7 (sete).

ÁGUA DOCE - Água, nem salgada, nem amarga, cuja composição química a torna apropriada à consumo (fraco teor em matéria sólida dissolvida).

ÁGUA DURA - Água que contém, em dissolução, quantidades relativamente grandes de substâncias minerais, principalmente, sais de cálcio e de magnésio.

ÁGUA SALOBRA - Água que contém sais em concentrações menores do que da água do mar. A concentração da quantidade total de sais dissolvidos está compreendida entre 1.000 e 10.000 mg/I.

ALCALINIDADE - Capacidade das águas em neutralizar compostos de caráter ácido, propriedade esta devido ao conteúdo de carbonatos, bicarbonatos hidróxidos e, ocasionalmente, boratos, silicatos e fosfatos. Expressa em miliequivalentes de íons de hidrogênio neutralizados, em 1 litro d'água.

Alporquia - Método de multiplicação de plantas em que se induz o enraizamento num ponto do caule, logo abaixo de um caule ou folha, produzindo nova muda.

Antese - Momento em que a flor se abre.

Axila - Ângulo formado pela junção da folha com o ramo.

Acúleo.
(1) Formação epidérmica com aspecto de espinho.
(2) Aguilhão formado por excrescência da casca de algumas plantas, como a roseira.

Acre. Medida agrária que equivale a 4.047 m2 de terras.

ÁRIDO - Termo utilizado para definir um clima extremamente seco, onde a concentração de umidade, no ar, não é suficiente para garantir a manutenção da vida. É considerado como o oposto de úmido quando se fala em clima.

Adubo - Substância orgânica empregada para a fertilização do solo.

ADUBO VERDE – vegetal incorporado ao solo com a finalidade de adicionar matéria orgânica que vai se transformar, parcialmente, em húmus, bem como em nutrientes para a planta. Os adubos verdes podem consistir de ervas, gramíneas, leguminosas, etc.

Adubação verde. Técnica agrícola para aumentar o conteúdo de matéria orgânica do solo.

Adubo orgânico e mineral.
(1) Matéria que se mistura à terra para corrigir deficiências e aumentar a fertilidade. Os adubos orgânicos contribuem para aumentar de forma imediata o húmus do solo. Os adubos minerais completam e enriquecem as matérias nutritivas, como o potássio e o cálcio.
(2) Adubo orgânico é considerado como restos de alimentos vegetais e esterco de animais que se misturam à terra para fertilizá-la.

Adubo químico. Substância química que se mistura à terra para fertilizá-la.

AERÓBICO– ser ou organismo que vive, cresce ou metaboliza apenas em presença do oxigênio.

Aeração. Processo que consiste em acrescentar oxigênio ou ar, utilizado para tratamento de águas poluídas. O aumento do oxigênio promove a ação de bactérias que decompõem os poluentes orgânicos.

Aeração do solo.
(1) A presença de ar no solo é de importância fundamental para a vida das árvores. Todas as partes das árvores necessitam de oxigênio para a respiração. Quanto mais poroso e solto o solo, melhor a aeração.
(2) A aeração do solo é a troca de gases entre o solo e a atmosfera.
(3) Afofamento da terra, para permitir a entrada de oxigênio até as raízes das plantas.

Áfilo. Sem folhas. Planta desprovida de folhas ou cujas folhas são imperceptíveis, como por exemplo, o cacto.

Agente Biológico de Controle.
(1) Organismo vivo, de ocorrência natural ou obtido através de manipulação genética, introduzido no ambiente para controle de uma população ou de atividades biológicas de outro organismo vivo considerado nocivo .
(2) Aquele que contenha agente microbiano vivo de ocorrência natural, bem como aquele resultante de técnicas que impliquem na introdução direta, num organismo, de material hereditário, desde que não envolvam a utilização de moléculas de ácido desoxiribonucléico (ADN) e/ou deácido ribonucléico (ARN) recombinante ou Organismo Geneticamente Modificado (OGM) .

Agricultura biológica. Conjunto de técnicas de cultura e de métodos de criação de animais, cujo objetivo é preservar a qualidade biológica dos produtos agrícolas e respeitar o equilíbrio natural. Baseia-se na busca de espécies resistentes, com fertilização basicamente orgânica, manejo do solo não-agressivo e uso de biocidas naturais.

Agricultura Orgânica. Cultivo agrícola sem uso de agentes químicos sintéticos.

Agricultura Sustentável. Método agrícola que incorpora técnicas de conservação do solo e de energia, manejo integrado de pragas e consumo mínimo de recursos ambientais e insumos, para evitar a degradação do ambiente e assegurar a qualidade dos alimentos produzidos.

Agrotóxico.
(1) Produto químico destinado a combater as pragas da lavoura (insetos, fungos, etc.). O uso indiscriminado prejudica os animais e o próprio homem.
(2) Nome adotado pela imprensa para os produtos caracterizados como defensivos agrícolas ou biocidas; produtos químicos utilizados para proteger as plantas combatendo e prevenindo pragas e doenças agrícolas. Em princípio, todos os defensivos são tóxicos em maior ou menor grau, dependendo da composição química, período de carência (tempo de ação) tipo de plantação, dosagens, adequação do uso e outros fatores. Os clorados estão proibidos. O grau de toxicidade é informado pela cor das embalagens: vermelho, altamente tóxico; amarelo, medianamente tóxico; azul, tóxico; verde, pode ser tóxico.

Alcalinidade. Estado de uma substância que tem propriedades alcalinas.

Alcalóides. Compostos orgânicos nitrogenados produzidos por plantas e fisiologicamente ativos nos vertebrados. Muitos possuem sabor amargo e alguns são venenosos, por exemplo, morfina, quinina, estricnina.

Alporquia. Tipo de multiplicação vegetativa que consiste no enraizamento de um ramo sem separá-lo da planta, o que se consegue envolvendo uma seção deste mesmo ramo com terra protegida por tecidos ou plásticos, até o enraizamento, quanto então o ramo será cortado.

Alqueire. Unidade de medida de superfície (área) de imóveis rurais ainda muito usada no Brasil. Varia de região para região.
Em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás o alqueire corresponde a 4,84 hectares (48.400 metros quadrados).
Nas demais regiões prevalece o alqueire paulista que equivale a 2,42 hectares (24.200 metros quadrados). Abreviação: alq.

Análise do solo. Estudo de amostras do solo em laboratório. As análises químicas identificam os componentes do solo e seu pH (nível de alcalinidade e acidez), enquanto a avaliação física estuda o tamanho e a distribuição das partículas que constituem o solo, bem como o teor de água e ar que ele contém. As análises biológicas observam os organismos animais e vegetais que habitam o solo.

Angiosperma. Planta das Angiospermas. Em algumas classificações, subdivisão (Angiospermae) das espermatófitas, que compreende plantas que produzem sementes inclusas em um ovário (como as orquídeas e as rosas) e que inclui a vasta maioria das espermatófitas. Subdivide-se nas subclasses dicotiledôneas e monocotiledôneas.

Apodrecimento. Processo de perda gradual de certas características da madeira ou de qualqer outro tipo de material que são afetados pela podridão evolutiva.

Arboreto.
(1) Conjunto de certos canteiros para produção de plantas cuja extração só se faz passados uns 4 ou 5 anos, depois de repicadas.
(2) Parte de jardim botãnico, de um horto ou de uma área qualquer onde se reunem árvores de diferentes espécies.
(3) Lugar em que as árvores de várias procedências são propagadas individualmente em grupos ou em pequenos maciços, para fins científicos ou educacionais.

Árido. Clima extremamente seco, em que, efetivamente, não existe umidade no ar. É considerado o oposto de úmido, quando se fala em climas.

Arroteamento. Ato de arar pela primeira vez terras incultas ou cobertas de ervas e plantas daninhas, a fim de convertê-las em terras de cultura.

Auto-sustentabilidade. Manutenção de algo sem interferências externas, capacidade de sustentar-se às próprias custas.

Autopolinização. Processo que consiste na polinização de uma flor por meio do pólen do próprio indivíduo ou clone. Transferência de pólen de uma árvore e uma flor feminina da mesma árvore ou do mesmo clone.

Auxina. Hormônio que provoca o crescimento das plantas.

Baga - Fruto carnoso, indeiscente (só libera as sementes quando apodrece ou é comido).

Bactérias do solo. Bactérias existentes principalmente em solos moles, férteis, que vivem livres ou em simbiose com as plantas. Algumas espécies realizam importantes trocas metabólicas no solo (fixam o nitrogênio atmosférico), outras são capazes de degradar quase todo tipo de material orgânico, liberando, para o ar, água e solo todas as substâncias químicas nele existentes e que serão aproveitadas mais tarde por outros seres vivos.

Bactéria.
(1) Organismos unicelulares que podem se multiplicar em ambientes orgânicos não vivos, sem precisar de oxigênio (bactérias anaeróbias). Servem como base de várias cadeias alimentares. Podem ser patogênicas ou benéficas.
(2) Organismos vegetais microscópicos, geralmente sem clorofila, essencialmente unicelulares e universalmente distribuídos.

Biofertilizante. Produto que contenha princípio ativo apto a melhorar, direta ou indiretamente, o desenvolvimento das plantas .

Bráctea. Folha modificada em cuja axila nasce uma flor ou uma inflorescência.

Briófitas. Plantas verdes terrestres, não vasculares. Por exemplo, musgos e hepáticas. (2) Vegetal de pequenas dimensões, sem canais internos condutores de seiva, como os musgos .

Broto. Lançamento, revento, renovo. É a planta proveniente de uma touça. Caule embrionário, incluindo folhas rudimentares, freqüentemente protegidas por escamas especializadas.

Bulbo - Estrutura especial que contém, em forma rudimentar, caule com gemas e primórdios de raízes.

Biomassa – quantidade de matéria orgânica presente num dado momento numa determinada área, e que pode ser expressa em peso, volume, área ou número.

CAPACIDADE DE INFILTRAÇÃO - Taxa máxima que um determinado solo pode absorver, de água, por unidade de superfície.

Cactáceas. Família de plantas peculiarmente destituídas de folhas e que têm o caule muito engrossado, em virtude de amplas reservas de água. Quase sempre conduzem espinhos. Flores ornamentais, dotadas de numerosas pétalas e estames, frutos por vezes comestíveis (Resolução CONAMA 012/94).

Caducifólia. Plantas ou vegetações que não se mantêm verdes durante todo o ano, perdendo as folhas na estação seca ou no inverno.

Calcário.
(1) Rocha que contém essencialmente carbonato de cálcio (CaCO3) na sua composição.
(2) Rocha formada por litificação de lama calcária, areia calcária, fragmentos bioclásticos, etc.

Caméfitos. Plantas sublenhosas e/ou ervas com gemas e brotos de crescimento situados acima do solo, atingindo até 1m de altura e protegidos durante o período desfavorável, ora por catáfilos, ora pelas folhas verticiladas, ocorrendo preferencialmente nas áreas campestres pantanosas.

Casca. Tecido que fica por fora do cilindro de lenho divisível, usualmente na velhas árvores em: casca interna (viva), líber, casca externa (morta) e ritidoma.

Cascalho. Depósitos de fragmentos arredondados de minerais ou rochas com diâmetros superiores a 2 mm. De acordo com os valores crescentes dos diâmetros, podem ser reconhecidos os grânulos (2 a 4 mm), seixos (4 a 64 mm), calhaus (64 a 256 mm) e matacões (maiores que 256 mm).

Catáfilo. Folha modificada, escamiforme, incolor e carnosa cuja função é proteger as gemas.

Catkin. Espiga escamada de flores reduzidas, normalmente unissexuais. O termo não deve ser aplicado para designar estróbilos estaminados ou masculinos das coníferas.

Cerne. Parte interna do lenho da árvore envolvida pelo alburno, constituída de elementos celulares já sem atividade vegetativa, geralmente caracterizada por coloração mais escura.

Calcário Dolomítico - Adubo cálcico que tem a propriedade de reduzir a acidez do solo.

Cálice - Conjunto de sépalas de uma flor.

Ciliar - matas em volta de rios e lagos.

Clorofila - Pigmento verde das plantas que tem participação fundamental no processo de fotosíntesse.

Colmo - Caule de nós bem definidos e entrenós maciços (ex.: cana de açúcar) ou ocos (ex.: bambus); caule típico das gramíneas.

Composto Orgânico - Adubo cuja composição se baseia em material orgânico decomposto.

Ciclo da decomposição. Tudo o que morre constitui a dieta de um grupo de organismos denominados decompositores, como os fungos e bactérias. Ao se alimentar, eles dividem o material morto em pedaços cada vez menores, até que todas as substâncias químicas sejam liberadas no ar, solo e água para aproveitamento posterior.

Ciófitas. Plantas de lugares sombrios.

Cobertura morta. Camada natural de resíduos de plantas espalhados sobre a superfície do solo, protegendo-o da insolação, do impacto das chuvas e, portanto, do perigo de erosão. A cobertura morta, rica em nitrogênio, tem ainda a função de reter a umidade do solo, necessária ao desenvolvimento de lavouras sadias.

Colmos. Caule das plantas gramíneas, entre a raiz e a espiga. Caule pouco consistente e sem nós do junco e da junça. Palha comprida de que se tiraram os grãos para cobrir as habilitações pobres nos campos.

Conífera. Espécie vegetal perencente ao grupo de árvores e arbustos que produzem cones e são tipicamente perenes, com folhas em forma de agulha. Seu principal representante é o pinheiro.

Coriácea - Tipo de folha que possui textura semelhante a couro e se quebra facilmente.

Corola - Conjunto de pétalas de uma flor.

Clorofila – pigmento existente nos vegetais, de estrutura química semelhante à hemoglobina do sangue dos mamíferos, solúvel em solventes orgânicos. Capta a energia solar para realização da fotossíntese.

Compostagem.
(1) Reaproveitamento da fração orgânica do lixo transformando-o em adubo orgânico.
(2) Técnica que consiste em deixar fermentar uma mistura de restos orgânicos vegetais e animais, a fim de se obter um produto homogêneo (o composto) de estrututra grumosa, muito rica em humos e microorganismos, que é incorporada ao solo a fim de melhorar a estrutura deste, as suas características e a riqueza em elementos fertilizantes.
(3) Método de tratamento dos resíduos sólidos (lixo), pela fermentação da matéria orgânica contida nos mesmos, conseguindo-se a sua estabilização, sob a forma de um adubo denominado "composto". Na compostagem normalmente sobram cerca de 50% de resíduos, os quais devem ser adequadamente dispostos.
(4) Trata-se da produção de adubo orgânico, esta técnica compreende a elaboração de uma mistura de restos de seres vivos capaz de maximizar a fertilidade do solo.

Composto orgânico. É um produto homogêneo obtido através de processo biológico pelo qual a matéria orgânica existente nos resíduos é convertida em outra, mais estável, pela ação principalmente de microorganismos já presentes no próprio resíduo ou adicionado por meios de inoculantes.

Conservação do solo – conjunto de métodos de manejo do solo que, em função de sua capacidade de uso, estabelece a utilização adequado do solo, a recuperação de suas áreas degradadas e mesmo a sua preservação.

Correção do solo. Conjunto de medidas, especialmente as técnicas agrícolas, que contribuem para sanear o solo e melhorar suas características, elevando assim a produtividade.

Corretivo de Acidez ou alcalinidade. (1) Produto que promova a modificação da acidez ou alcalinidade do solo, sem trazer nenhuma característica prejudicial (Decreto 86.955/82).

Corretivo de salinidade. (1) Produto que promova a diminuição de sais solúveis no solo (Decreto 86.995/82).

Criptófitos. Categoria de plantas cujas gemas ficam protegidas sob o solo ou água.

CURSO DE ÁGUA EFLUENTE - Rio alimentado por águas subterrâneas.

CURSO DE ÁGUA INTERMITENTE - Curso de água cujo escoamento é uma resposta direta e imediata à precipitação ou ao abastecimento por uma fonte intermitente.

DÉFICIT DE UMIDADE DO SOLO - Quantidade de água, expressa em altura, necessária para levar o teor de umidade de um solo até sua capacidade de campo.

Dendrologia. Identificação e classificação sistemática das árvores.

Dendríticos. O que tem ramificações semelhantes às de uma árvore.

DDT – iniciais do nome químico “dicloro-difenil-tricloroetano”, inseticida orgânico de síntese, empregado em forma de pó, em fervura ou em aerossol, contra insetos. O DDT se bioacumula na cadeia alimentar, sendo considerado uma substância potencialmente cancerígena.

Decídua - Caduca, que cai.

Deiscente - Fruto que se abre e libera suas sementes ainda na planta.

Dióica - Planta cujas flores são unissexuais, quer dizer, os fatores masculinos e femininos estão contidos em plantas separadas.

Decompositores – organismos que transformam a matéria orgânica morta em matéria inorgânica simples, passível de ser reutilizada pelo mundo vivo. Compreendem a maioria dos fungos e das bactérias. O mesmo que saprófitas.

Drenagem.
(1) Coleta do excesso de água do solo e sua condução para rios ou lagoas, através de canais fechados ou abertos. (2) Remoção da água superficial ou subterrânea de um área determinada, por bombeamento ou gravidade.

Glossário - Termos Técnicos de E / M

Temperos em vasos
flickr_trebol-a

Espécie - Grupo de plantas com características comuns, capazes de se reproduzirem por cruzamento, isto é, fecundação uma da outra.

Estaca - Pedaço de um órgão vivo da planta, como o caule ou a folha, que é utilizado para reproduzir o vegetal de origem, assexuadamente.

Estame - Órgão sexual masculino da flor.

Estaquia - Método de multiplicação de plantas em que se empregam pedaços de órgão vivos de plantas, como caules ou folhas.

Esterco - Excremento animal.

Estolão - Caule rastejante capaz de desenvolver raízes nos entrenós. O mesmo que "estolho".

Estrume - Adubo formado de esterco e matéria vegetal decomposta.

Efeito cumulativo – fenômeno que ocorre com inseticidas e compostos radioativos que se concentram nos organismos terminais da cadeia alimentar, como o homem.

Epífitas – plantas que crescem agarradas a outras plantas, tais como as orquídeas, musgos, líquens, bromélias, etc.

Encostia - Espécie de enxertia em que se unem dois ramos previamente descascados. O mesmo que "aproximação".

Enxertia - Técnica de aplicar enxertos.

Enxerto - Parte viva de um vegetal inserida em outra planta para aumentar a produtividade e favorecer a multiplicação. O mesmo que "cavaleiro".

Esfagno - Musgo seco, não decomposto.

EXCESSO DE ÁGUA - Diferença positiva acumulada entre a precipitação e a evapotranspiração potencial, durante um certo período; quantidade de água, em excesso, sobre a demanda, num reservatório ou sistema de abastecimento.

Epífita.
(1) Qualificativo do vegetal que nasce sobre outro, sem dele tirar a sua alimentação.
(2) Qualquer espécie vegetal que cresce ou se apóia sobre outra planta ou objeto, retirando seu alimento da chuva ou de detritos e resíduos que coleta de seu suporte.

Epifitismo. Forma de relação harmônica unilateral interespecífica das plantas que se desenvolvem sobre outras sem prejudicá-las.

Erosão do solo.
(1) Destruição nas partes altas e acúmulo nas partes deprimidas da camada superficial edafizada .
(2) Processo pelo qual a camada superficial do solo ou partes do solo são retiradas, pelo impacto de chuva, ventos e ondas e são transportadas e depositadas em outro lugar .

Escarificação.
(1) Ato de fender a superfície do solo como trabalho preparatório para a semeadura natural ou direta.
(2) Aplicada à semente, consiste em atritar ou desgastar, por fricção ou pelo tratamento com ácidos, o envoltório mais ou menos impermeável da semente, para facilitar ou acelerar a germinação

Esciófita. Espécie vegetal adaptada a se desenvolver na sombra.

Espata. Bainha protetora da haste floral.

Espécie morfológica. Especialmente aplicada a plantas, que nivela a espécie ao nível do taxon. Assim, no conceito morfológico da espécie, o componente citogenético é subordinado à morfologia externa. Diferentemente da espécie biológica, as categorias taxonômicas dentro da espécie taxonômica são baseadas principalmente em caracteres de variação contínua (ex.: variedade) e em caracteres de variação descontínua (ex.: espécie propriamente dita).

Estimulante ou biofertilizante. Produto que contenha princípio ativo ou agente capaz de atuar, direta ou indiretamente, sobre o todo ou parte das plantas cultivadas, elevando a sua produtividade (Decreto 86.955/82).

Estipe. Caule ou tronco sem ramificação, como o das palmeiras e fetos arborescentes.

Fertilidade do solo. Capacidade de produção do solo devido à disponibilidade equilibrada de elementos químicos como potássio, nitrogênio, sódio, ferro, magnésio e da conjunção de alguns fatores como água, luz, ar, temperatura e da estrutura física da terra.

Fertilizante.
(1) Substância mineral ou orgânica, natural ou sintética, fornecedora de um ou mais nutrientes vegetais.
(2) Substância natural ou artificial que contém elementos químicos e propriedades físicas que aumentam o crescimento e a produtividade das plantas, melhorando a natural fertilidade do solo ou devolvendo os elementos retirados do solo pela erosão ou por culturas anteriores.

Fertilizante complexo. Fertilizante contendo dois ou mais nutrientes, resultante de processo tecnológico em que se formem dois ou mais compostos químicos .

Fertilizante composto. Fertilizante obtido por processo bioquímico, natural ou controlado com mistura de resíduos de origem vegetal ou animal .

Fertilizante orgânico. Fertilizante de origem vegetal ou animal contendo um ou mais nutrientes das plantas

Fertilizante organomineral.
(1) Fertilizante procedente da mistura ou combinação de fertilizantes minerais e orgânicos .
(2) Fertilizante resultante da mistura de dois ou mais fertilizantes simples

Fertilizante simples. Fertilizante formado de um composto químico, contendo um ou mais nutrientes das plantas

Filo. Prefixo que significa folha ou planta.

Fitotóxico. A propriedade de ser tóxico a vegetais.

Floema. Principal tecido de condução das substâncias nutritivas nas plantas vasculares.

Flora.
(1) Reino vegetal. Conjunto da vegetação de um país ou de uma região. Tratado descritivo dessa vegetação.
(2) A totalidade das espécies vegetais que compreende a vegetação de uma determinada região, sem qualquer expressão de importância individual. Compreende também as algas e fitoplânctons marinhos flutuantes.
A flora se organiza geralmente em estratos, que determinam formações específicas como campos e pradarias, savanas e estepes, bosques e florestas e outros.

Floresta.
(1) Vegetação cerrada constituída de árvores de grande porte, cobrindo grande extensão de terreno.
(2) Ecossistemas complexos, nos quais as árvores são a forma vegetal predominante que protege o solo contra o impacto direto do sol, dos ventos e das precipitações. A maioria dos autores apresentam matas e florestas como sinônimos, embora alguns atribuam à floresta maior extensão que às matas.

Floresta decídua ou caducifólia. Tipo de vegetação que perde todas as folhas ou parte delas em determinada época do ano

Floresta xerófita. Floresta que possui espécies que sobrevivem em lugares com carência de água

Formação vegetal. Comunidade de espécies vegetais inter-relacionadas, surgidas de forma natural e que perdura enquanto se mantenham as condições naturais a que se deve sua origem; entre as espécies de uma determinada comunidade existe certa unidade fisonômica e biológica e exigências semelhantes perante o ambiente.

Fungo - Organismos uni ou pluricelulares, aclorofilados. Na botânica tradicional, são considerados talófitos, popularmentes conhecidos por bolores, mofos, cogumelos, trufas e orelhas-de-pau.

Fanerófita. Espécie vegetal cujos meristemas (células de crescimento) se acham a mais de 25 cm do solo (como as árvores, por exemplo)

Fuste - Eixo principal de uma árvores desprovida de ramos.

Fitoplâncton – conjunto de plantas flutuantes, como algas, de um ecossistema aquático.

Fotossíntese – processo bioquímico que permite aos vegetais sintetizar substâncias orgânicas complexas e de alto conteúdo energético, a partir de substâncias minerais simples e de baixo conteúdo energético. Para isso, se utilizam de energia solar que captam nas moléculas de clorofila. Neste processo, a planta consome gás carbônico (CO2) e água, liberando oxigênio (O2) para a atmosfera. É o processo pelo qual as plantas utilizam a luz solar como fonte de energia para formar substâncias nutritivas.

GUTAÇÃO - Processo pelo qual as plantas expulsam, pelas folhas, a água em excesso da transpiração.

Gavinha. Órgão de fixação de certas plantas, com que elas se prendem a suportes.

Geófita. Espécie vegetal cujos órgãos de crescimento se acham no interior da terra, onde se encontra o caule principal.

Germinação. Retomada do crescimento do embrião, que emerge da semente e se desenvolve em plântula.

Goma. Seiva viscosa e translúcida que ocorre e se extrai de certas árvores

Gramíneas. Família de plantas que caracterizam-se em geral como ervas monocotiledôneas de pequeno porte, com caule em geral oco e articulado por nós sólidos, raramente ramificado e mais ou menos lenhoso, folhas lineares, sésseis, com lígula e bainha enrolada em redor do caule, raízes geralmente fasciculares e flores na maioria das espécies, cachos e partículas simples ou compostas por espiguetas.

Gênero - Grupo de espécies com características comuns.

Germinação - Início de desenvolvimento de um vegetal, a partir de um esporo ou do embrião da semente.

Glabra - Que não tem pêlo, lisa.

Halófita - Planta adaptada a ambientes com alto teor salino.

Habitat – ambiente que oferece um conjunto de condições favoráveis para o desenvolvimento, a sobrevivência e a reprodução de determinados organismos. Os ecossistemas, ou parte deles, nos quais vive um determinado organismo, são seu habitat. O habitat constitui a totalidade do ambiente do organismo. Cada espécie necessita de determinado tipo de habitat porque tem um determinado nicho ecológico.

Hectare. Medida agrária que corresponde a 10.000 m2.

Heliófita.
(1) Planta adaptada ao crescimento em ambiente aberto ou exposto à luz direta.
(2) Espécie vegetal que só pode crescer e reproduzir-se sob insolação direta.

Higrófita - Planta que se adapta a ambientes aquáticos ou brejosos; planta hidrófila.

Hemicriptófita. Espécie vegetal, que na estação desfavorável, se reduz somente à parte subterrânea e que em condições ambientais favoráveis desenvolve novos órgãos aéreos.

Herbáceas.
(1) Plantas com características de erva. Designativo das plantas cujos ramos e hastes não são lenhosas e perecem depois da frutificação.
(2) Grupo de plantas folhosas, não-lenhosas; comumente formam a camada de vegetação mais baixa de uma comunidade vegetal.

Herbário.
(1) Coleção de espécimes vegetais secos e prensados, arranjados e descritos de forma sistemática, e que servem de referência taxonômica para a identificação e classificação das plantas. Coleção de plantas que geralmente passaram por um processo de prensagem e secagem. Tais plantas são ordenadas de acordo com um determinado sistema de classificação e são disponíveis para referências e outros fins científicos (FERRI et alii, 1981).
(2) Coleção de plantas preservadas e destinadas à pequisa científica ou ao ensino de botânica.

Herbicida.
(1) Produto utilizado para destruir ou controlar o crescimento de ervas daninhas, arbustos ou outras plantas indesejáveis.
(2) Substâncias químicas, com maior ou menor toxicidade, borrifadas nas plantações para matar ervas daninhas. (3) Substância química usada para matar plantas e principalmente ervas daninhas (CARVALHO, 1981).
(4) Pesticida químico usado para destruir ou controlar o crescimento de ervas daninhas, arbustos ou outras plantas indesejáveis .

Higrófilos.
(1) Vegetal adaptado a lugares muito úmidos.
(2) Vegetal que se desenvolve em lugares úmidos e que se caracteriza por grandes folhas.

Homeostase do desenvolvimento. Capacidade apresentada por uma planta de não alterar as suas características fenotípicas quando cultivada em diferentes condições ecológicas.

Húmus.
(1) Produto da decomposição microbiana e química dos detritos orgânicos, cuja composição química é muito variável. Atua em geral como ácido orgânico bivalente com cerca de 58% de H, 3% de N e 2% de S, P, Ca, Fe e K e outros elementos. Quando quase saturado de Ca (cálcio), constitui terras ricas. Solúvel, em grande parte, em hidróxidos alcalinos, mas insolúvel em hidróxidos alcalino-terrosos e em ácidos.
(2) Material orgânico inerte, finamente dividido, resultante da decomposição microbiana de planta e substâncias animais, compostos aproximadamente de sessenta por cento de carbono, seis por cento de nitrogênio, e menores quantidades de fósforo e enxofre. A decomposição da matéria orgânica viva do solo torna essas substâncias próprias para serem utilizadas pelas plantas.
(3) Restos orgânicos, principalmente vegetais (folhas) num estado avançado de decomposição, principalmente misturado com o solo (turfa: matéria orgânica; fonte importante de nutrientes minerais; terra vegetal) .
(4) Matéria escura que se forma pela decomposição e fermentação de elementos vegetais, matérias orgânicas amontoadas e comprimidas em plataformas e fossas que formam naturalmente camadas mais ou menos espessas. O humo é usado para corrigir alguns tipos de solos; todos os solos cultivados contêm humo em maior ou menor quantidade .

Híbrido - Vegetal que resulta do cruzamento de espécies diferentes.

Hidroponia - O uso da água como substrato para plantas.

Inflorescência - Conjunto de flores.

Imunidade. Resistência da planta a doenças que é completa e permanente (sentido restrito).

INFILTRAÇÃO - Fluxo da água da superfície do solo para o subsolo (OMM); escoamento de um meio poroso para um canal, dreno, reservatório ou conduto.

IRRIGAÇÃO - Fornecimento artificial de água ao solo com finalidades agrícolas.

Indicadores do solo. Plantas que, pelo fato de brotarem primordial ou exclusivamente em determinados solos, revelam suas propriedades. É o caso da soja, que indica que o solo onde ocorre é rico em nitrogênio.

Infestação. Ação de infestar, estado do que está infestado. Penetração em um organismo de parasitas não-microbianos

Inoculante. Substância que contenha microorganismos com atuação favorável ao desenvolvimento vegetal

Insolação. Entrada de radiação solar.

Jundu. Tipo de vegetação densa e emaranhada que ocorre no litoral arenoso, principalmente nas restingas. Esses vegetais são lenhosos com altura máxima de 5 metros

Laterita. Nome dado aos solos vermelhos das zonas úmidas e quentes.

Latifoliada. Vegetação com abundância de espécies dotadas de folhas largas

Latossolo. Tipo de solo de cor avermelhada, predominante do clima quente úmido de grande espessura, de bastante porosidade, pobres em nutrientes e minerais. É encontrado em florestas e cerrados.

Lenticelas. Um dos poros corticiais nos caules de plantas lenhosas pelos quais o ar penetra nos tecidos subjacentes.

Liana.
(1) Cipó que cresce em sentido crescente (para cima).
(2) Trepadeira lenhosa, geralmente de grande tamanho, semelhante a um cipó.

Lâmina - Parte plana das folhas. O mesmo que limbo.

Mergulhia - Método de multiplicação que consiste em fixar ao solo uma parte do caule da planta até crescer uma nova muda, que pode ser separada sem prejuízo da planta-mãe.

Macega. Erva daninha, infestante das searas. Campo natural, cujo capim, muito amadurecido, está grosso e fibroso. Macega-brava: erva graminácea (Erianthus saccharoides), também chamada cana-brava. Macega-mansa: gramínea alta e rígida, com folhas cortantes (Andropogon spathiflorus); também chamada capim-taquarizinho.

Macrofanerófitos. São plantas de alto porte, variando entre 30 a 50 m de altura, ocorrendo preferencialmente na Amazônia e no sul do Brasil.

Macronutrientes primários. Nitrogênio, fósforo e potássio, expressos nas formas de nitrogênio (N), pentóxido de fósforo (P2O5) e óxido de potássio (K2O) .

Macronutrientes secundários. O cálcio, magnésio e enxofre, expressos nas formas de cálcio (Ca), magnésio (Mg) e enxofre (S).

Manejo do solo. Soma total de todas as operações de cultivo, práticas culturais, fertilização, correção e outros tratamentos, conduzidos ou aplicados a um solo, que visam à produção de plantas.

Matéria orgânica.
(1) Composto natural de resíduos animais e vegetais que são passíveis ou sofreram decomposição.
(2) Material constituinte dos animais ou vegetais. Portanto é passível de decomposição.

Metais pesados – metais como o cobre, zinco, cádmio, níquel e chumbo, os quais são comumente utilizados na indústria e podem, se presentes em elevadas concentrações, retardar ou inibir o processo biológico aeróbico ou anaeróbico e serem tóxicos aos organismos vivos.

Microclima – conjunto das condições atmosféricas de um lugar limitado em relação às do clima geral.

Migração – deslocamento de indivíduos ou grupo de indivíduos de uma região para outra. Pode ser regular ou periódica, podendo ainda coincidir com mudanças de estação.

Mutações – variações descontínuas que modificam o patrimônio genético e se exteriorizam através de alterações permanentes e hereditárias. Se constituem em fatores de relevante importância no sentido da adaptação do ser vivo ao meio ambiente.

Meristema apical. Meristema das extremidades em crescimetno dos caules, ramos e raízes.

Mesofanerófitos. São plantas de porte médio, variando entre 20 e 30 m de altura, ocorrendo preferencialmente nas áreas extra amazônicas.

Mesófila. Vegetação adaptada a viver em ambiente com mediana disponibilidade de água no solo e na atmosfera

Microfanerófitos. são plantas de baixo porte, variando entre 5 e 20 m de altura, ocorrendo preferencialmente nas áreas nordestinas e no Centro-oeste.

Micronutrientes.
(1) Nome dado a vários elementos químicos (como zinco, cobre, cobalto, manganês, iodo e flúor) encontrados em quantidades minúsculas nos tecidos de plantas e animais.
(2) O boro, cloro, cobre, ferro, manganês, molibdênio, zinco e cobalto, expressos nas formas de B, Cl, Cu, Fe, Mn, Mo, Zn e Co, respectivamente

Monóclina. Espécie que apresenta flores hermafroditas. Do grego, mono = um; clinos = leito; ou seja, ambos os sexos contidos no mesmo receptáculo floral.

Monóica. Espécie díclina que apresenta flores masculinas e femininas no mesmo indivíduo (ex.: mandioca, seringueira).

Mucilagem. Designação comum aos compostos viscosos produzidos por plantas.

Muco. Secreção constituída por água e uma proteína, a mucina.

Muda. Planta jovem oriunda de propagação generativa e vegetativa destinda a produção de árvores.


Glossário - Termos Técnicos de N / Z

Beringela
flickr_trebol-a

Não-biodegradável. Substância que não se degrada por processos naturais, permanecendo em sua forma original por muito tempo; alguns plásticos e alguns tipos de pesticidas estão nesta categoria.

NPK. Abraviatura de Nitrogênio, Fósforo e Potássio, os três principais nutrientes usados nos fertilizantes.

Nutrientes
(1) Qualquer substância do meio ambiente utilizada pelos seres vivos, seja macro ou micronutriente, por exemplo, nitrato e fosfato do solo. Os plânctons (fitoplâncton ou geoplâncton) incluem-se entre os nutrientes.
(2) Elementos ou compostos essenciais como matéria-prima para o crescimento e desenvolvimento de organismos, como, por exemplo, o carbono, o oxigênio, o nitrogênio e o fósforo .
(3) São os compostos de NH3 e PO4 indispensáveis para o desenvolvimento de microorganismos, como algas e sistema secundário de tratamento e suas descargas nos rios e lagos .
(4) Que fornece nutrição; elementos minerais ou compostos orgânicos requeridos para as funções vitais de animais e vegetais.

Nicho ecológico – espaço ocupado por um organismo no ecossistema, incluindo também o seu papel na comunidade e a sua posição em gradientes ambientais de temperatura, umidade, pH, solo e outras condições de existência.

Nó - Parte engrossada do caule, sobre o qual se inserem as folhas.

Ombrófila. Espécie vegetal cujo desenvolvimento depende de regime de águas pluviais abundantes e constantes.

OXIGÊNIO - Gás incolor, inodoro e insípido. O oxigênio é o segundo componente mais abundante do ar seco, contribuindo com 20,946% de seu total.

Partenocarpia. Formação de fruto sem que ocorra a polinização/fecundação; as sementes não se desenvolvem ou são abortadas. Fenômeno que acontece naturalmente e em algumas culturas como bananas e abacaxis.

Peninérvea. Folha que tem a distribuição das nervuras lembrando a organização das barbas de uma pena.

Planta Perene. Planta cujo ciclo de vida dura mais de dois anos.

pH.
(1) Em química, a medida quantitativa da acidez ou basicidade (alcalinidade) de uma solução líquida. A medida da acidez ou alcalinidade de um material líquido ou sólido. É representado em uma escala de zero a 14 com o valor 7 representando o estado neutro, o valor zero o mais ácido e o valor 14 o mais alcalino (The Work Bank, 1978).
(2) É o logaritmo do inverso da concentração hidrogênica e por este motivo o índice de ácido-alcalinidade da água ou de outro líquido, ou até mesmo dos solos. As águas chamadas duras têm pH alto (maior que 7) e as brandas, baixa (menor que 7) (CARVALHO, 1981).
(3) Medida da acidez ou alcalinidade de um material líquido ou sólido; importante parâmetro para avaliação de águas naturais ou servidas, pois a existência de grande parte da vida biológica só é possível dentro de estreitos limites dessa variação. Numa escala de 0 a 14, o valor 7 representa o estado neutro; o valor 0, o mais ácido e o valor 14, o mais alcalino; uma substância com pH alto á alcalina e com pH baixo é ácida; a água servida com pH alterado deve ser corrigida antes de ser lançada em águas naturais; grafia correta: p minúsculo e H maiúsculo.

Parasita - Vegetal que se alimenta de outro.

Pecíolo. - Haste que sustenta uma flor ou um fruto

Perene - Vegetal que vive mais de dois anos, geralmente florescendo todos os anos.

Pétala - Cada uma das partes que compõem uma corola. PH do solo - Índice que traduz o teor de acidez ou alcalinidade do solo.

Pistilo - Órgão sexual feminino da flor.

Plantas invasoras. Plantas com capacidade de colonizar espontaneamente novos ambientes através de seus mecanismos de regeneração natural.

Plântula. Planta jovem ou recém germinada

Poda. Técnica de jardinagem e agricultura que consiste em eliminar as gemas apicais dos ramos, quebrando a inibição que elas exercem sobre as gemas laterais, o resultado é a ramificação da planta.

Poliembrionia. Ocorrência de vários embriões na mesma semente. A emergência de duas ou mais plântulas de uma semente é um forte indicador da existência de apomixia, mas não se constitui evidência definitiva, pois há poliembrionia zigótica (sexuada).
A poliembrionia, portanto, pode ser de origem assexuada (embrionia adventícia) ou sexuada (apomixia gametofítica) ou uma combinação de ambas. A poliembrionia é bastante comum em fruteiras temperadas e tropicais, citando-se, como exemplo, os citros em geral, a manga, o mangostão e mirtáceas, como a pitanga.

Polinização. Ato de transportar o pólen de uma antera (parte em que ele é produzido) até o estigma. Há dois tipos básicos de polinização: a autopolinização e a polinização cruzada.
Os agentes naturais (vetores) da polinização são tanto elementos abióticos (ex.: vento e água) quanto agentes bióticos (ex.: insetos, pássaros e morcegos). Em angiospermas, o pólen é geralmente transportado por insetos, aves ou morcegos, enquanto em gimnospermas o vento encarrega-se desta missão.

Polinização cruzada. Transporte do grão de pólen de um indivíduo ao estigma da flor de outro indivíduo.

Poluição do solo. Contaminação do solo por qualquer um dos inúmeros poluentes derivados da agricultura, da mineração, das atividades urbanas e industriais, dos dejetos animais, do uso de herbicidas ou dos processos de erosão.

Praga. Patógeno estritamente associado ao grupo de insetos e ácaros fitófagos; peste.

Pragas e doenças. Organismos vivos (em geral, insetos, fungos, bactérias e vírus) que, ao utilizarem as plantas como fonte de alimento ou como hospedeiras, alteram o seu ritmo normal de crescimento e desenvolvimento em grau suficiente, causando danos econômicos às plantações florestais.

Princípio ativo (de agrotóxicos). Substância, o produto ou o agente resultante de processos de natureza química, física ou biológica, empregados para conferir eficácia aos agrotóxicos e afins

Protandria. Maturação das anteras antes do pistilo em uma planta.

Protogenia. Maturação do pistilo antes das anteras da flor de uma planta.

Pteridófita.
(1) Plantas sem flores que se reproduzem por esporos. Ex.: samambaias, xaxins e avencas (Resolução .
(2) Espécie vegetal que forma esporângios, nas folhas ou em folhas modificadas, procedentes dos esporos formados pela planta mãe.

Pivotante - raiz "única" encontrada em árvores como o pinheiro.

Porta-enxerto - Ramo ou tronco que recebe o enxerto. O mesmo que "cavalo".

Resíduos – materiais ou restos de materiais cujo proprietário ou produtor não mais considera com valor suficiente para conservá-los.
Alguns tipos de resíduos são considerados altamente perigosos e requerem cuidados especiais quanto à coleta, transporte e destinação final, pois apresentam substancial periculosidade, ou potencial, à saúde humana e aos organismos vivos.

Restolho. Parte inferior dos talos, unida à raiz, que fica no solo depois de se cortar os cereais e leguminosas. Seu aproveitamento é importante para a alimentação do gado e também para a manutenção das qualidades nutritivas do solo e do húmus.

Repicagem - Técnica de transplante de mudas para canteiros, o­nde são replantadas a intervalos regulares.

Rizoma - Caule subterrâneo, no todo ou em parte, de crescimento horizontal, rico em reservas nutrientes.

Seiva - Solução nutritiva que circula no interior da planta.

Semente - Óvulo fecundado, maduro e desenvolvido.

Sépala - Cada uma das partes que forma o cálice.

Suculenta - Planta que possui folhas e/ou caules grossos e carnudos, ricos em água.

SALINIDADE - Concentração de sais, dissolvidos na água, quando a matéria orgânica já foi oxidada, os carbonatos convertidos a óxidos e o bromo e o iodo substituídos pelo cloro. É expressa em g/Kg ou ppm de cloro.

Salinização.
(1) Aumento do teor de substâncias salinas no solo, que resulta geralmente da má aplicação das tecnologias de irrigação.
(2) Conseqüência da irrigação em zonas áridas e semi-áridas. As águas das chuvas contêm sempre sais minerais dissolvidos, que se depositam no solo quando ele evapora. A drenagem deficiente das culturas aliada à elevação do lençol freático no nível do solo também pode gerar a salinização dos terrenos, tornando-os impróprios para agricultura.

Salobra. Ecossistemas em que se misturam as águas doces e salgadas, em quantidades variáveis. Influem na taxa de salinidade as chuvas, as marés ou a afluência dos rios. De uma hora para outra, a água salobra pode ficar hipersalgada com relação aos oceanos.
Esse fenômeno pode matar algumas espécies e causar pululação (proliferação excessiva) de outras mais adaptadas. Um pequeno crustáceo reage singularmente a esse processo: diminui a sua superfície corporal. Outro entra em hibernação nos períodos de alta salinidade.

Sazonal. Relativo à estação do ano, à sazonalidade.

Sedimento. Termo genérico para qualquer material particulado depositado por agente natural de transporte, como vento ou água.

Seixo rolado. Partículas ou pedras desgastadas pela água, com forma arredondada, que se acumulam no leito ou em margens de rios.

Sebes. Tapume de ramos ou varas para vedar terrenos.

SATURAÇÃO - Estado de um meio poroso cujos poros estão completamente cheios de água; relação entre o volume dos poros cheios de água e o volume total dos poros; sin. grau de saturação; estado do ar úmido, caracterizado pelo equilíbrio transitório, acima da superfície evaporante, entre as moléculas que se desprendem da superfície e as que ali penetram. Nessas condições, cessa a evaporação; estado de equilíbrio dinâmico de uma substância, dissolvida, entre suas diferentes fases - sólida, líquida e gasosa.

Serrapilheira. Camadas de folhas, galhos e matéria orgânica morta que cobre o solo das matas .

Solo.
(1) Formação natural superficial, de pequena rigidez e espessura variável. Compõe-se de elementos minerais (silte, areia e argila), húmus, nutrientes (como cálcio e potássio), água, ar e seres vivos, como as minhocas.
(2) Terreno sobre o qual se constrói ou se anda; chão, pavimento
.(3) Terra considerada nas suas qualidades produtivas.Porção de superfície de terra. S. ativo: parte fértil do solo arável. S. inerte: parte do solo arável, entre o solo ativo e o subsolo.
(4) Em pedologia e ecologia solo é: o material terrestre alterado por agentes físicos, químicos e biológicos e que serve de base para as raízes das plantas .

Solo de brejo. Solo assentado sobre camadas de argila e ardósia impermeáveis, que possui rochas perto da superfície. Nos brejos chove bem mais do que nas regiões de cerrados, e a camada superior do solo está permanentemente úmida. Partículas de material orgânico de plantas mortas formam uma camada estreita e ácida.

Solo de cerrado. Solo arenoso e ligeiramente seco. Sua fina camada de restos vegetais é quase sempre ácida. Minhocas e micróbios não toleram bem essas condições e por isso a decomposição é lenta, o que torna esse solo pobre em nutrientes.

Solo de jardim e horta. Tipo de solo geralmente muito fértil, bem drenado e arejado, pois na maioria das vezes recebe adubação orgânica. Costuma apresentar uma grande população de minhocas.

Subsolo. Camada de solo, imediatamente inferior à que se vê ou se pode arar.Construção abaixo do rés-do-chão.

Terófita. Designação em comum às espécies vegetais que têm ciclo de vida anual.

Terra úmida.
(1) Área inundada por água subterrânea ou de superfície com uma freqüência suficiente para sustentar vida vegetal ou aquática que requeira condições da saturação do solo .
(2) Áreas de pântano, brejo, turfeira ou água, natural ou artificial, permanente ou temporária, parada ou corrente, doce, salobra ou salgada, incluindo as águas do mar, cuja profundidade na maré baixa não excede seis metros .

Turfa.
(1) Resíduo carbonoso castanho escuro ou preto produzido por decomposição parcial de plantas em áreas pantanosas. Em geral, os fragmentos de plantas vasculares das turfas conservam ainda as estruturas que permitem identificar as plantas que lhes deram origem. Corresponde à primeira etapa de incarbonização (processo de perda de voláteis como O, H e N enriquecendo-se relativamente em C, levando-se através de fases sucessivas de maturação à formação do carvão ou hulha.
(2) Depósito recente de carvões, formado principalmente em regiões de clima frio ou temperado, onde os vegetais antes do apodrecimento são carbonizados. Estas transformações exigem que a água seja límpida e o local não muito profundo. A turfa é uma matéria lenhosa, que perdeu parte de seu oxigênio por ocasião de carbonização, assim transfomando-se em carvão, cujo valor econômico como combustível é, no entanto, pequeno (GUERRA, 1978).
(3) Solo altamente orgânico, mais de 50% combustível, de restos vegetais pouco decompostos, cujas estruturas são ainda bem reconhecíveis, devido às condições anaeróbias, frias, ácidas, embebidas de água.

Terra vegetal - Terra com alto teor de matéria vegetal decomposta.

Tomentoso - Planta revestida por uma camada de pêlos parecido com a lã.

Tubérculo - Caule ou raiz muito grossos, geralmente subterrâneos, ricos em substâncias nutritivas.

Tutoramento - Técnica de amparo a arbustos muito flexíveis, por meio de suporte. O mesmo que "estaqueamento".

Unissexuada - Planta que possui apenas um aparelho reprodutor; dióica.

UMIDADE - Diz respeito à quantidade de vapor d'água no ar. É, freqüentemente, confundida com umidade relativa ou ponto de orvalho.

Umbrófila. Planta adaptada ao crescimento em ambiente sombreados.

Vermiculita - Material inerte de origem mineral que facilita o enraizamento.

Vegetais intermediários. Cormófitos. Não desenvolvem sementes nem apresentam flores.

Vegetação.
(1) Conjunto de vegetais que ocupam uma determinada área; tipo da cobertura vegetal; as comunidades das plantas do lugar; termo quantitativo caracterizado pelas plantas abundantes .
(2) Quantidade total de plantas e partes vegetais como folhas, caules e frutos que integram a cobertura da superfície de um solo. Algumas vezes o termo é utilizado de modo mais restrito para designar o conjunto de plantas que vivem em determinada área .
(3) Conjunto de plantas e associações vegetais.

Xerófilo. Vegetal que vive em lugares secos.

Xerófita.
(1) Planta adaptada a ambientes secos .
(2) Espécie vegetal cujos indivíduos têm uma estrutura especial, com reforço nas paredes celulares devido à abundância de tecidos mecânicos, o que lhe protege contra a carência de água do ambiente onde vive.
(3) Vegetal eficiente em reter água que pode crescer nos desertos ou em ambientes com altas concentrações de sal.

Xeromórfica.
(1) Planta semelhante às xerófitas.
(2) Espécie vegetal com morfologia semelhante às xerófitas e, por isso, não sofre com a escassez de água no ambiente onde vegeta (como é o caso da vegetação de cerrado, por exemplo).

Xerófita - Planta que se adapta a ambientes que possui pouca umidade.

Zoidogâmico - Planta polinizada por animais.

Zooplâncton – conjunto de animais, geralmente microscópicos, que flutuam nos ecossistemas aquáticos e que, embora tenham movimentos próprios, não são capazes de vencer as correntezas.

Fontes: www.ambientebrasil.com.br
www.caxias.rs.gov
.

Raphael Chespkassoff

Raphael Chespkassoff

A Tv Boituva (lançada no dia 01 de maio) é um portal de vídeos, fotos, notícias e informações que tem o objetivo principal formar, informar e entreter. Temos uma equipe completa e equipamento de filmagens em Alta Definição possiblitando assim materias de maior qualidade para ser aprensentados e transmitidos em nosso portal Tv Boituva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.