Breaking News
recent

Adubação Citros

O que é?

A adoção da adubação verde, ou seja, a prática de cultivo e incorporação de plantas, tem a finalidade de preservar e/ou restaurar o teor de matéria orgânica e a fertilidade dos solos com seu material vegetal, possibilitando a substituição parcial e/ou total de adubos químicos, proporcionando melhor cobertura do solo, controlando as plantas daninhas, a erosão, reciclando nutrientes lixiviados (arrastados para as acamadas mais profundas do solo), aumentando a capacidade de troca catiônica do solo (CTC), a infiltração e retenção de água, favorecendo o desenvolvimento microbiano no solo, controlando nematóides, além de efeitos alelopáticos sobre diversas plantas invasoras.

Adubos Verdes

São plantas utilizadas com a finalidade de serem incorporadas ao solo, fornecendo material orgânico, nitrogênio e outros nutrientes, com o intuito de melhorar as características físicas, químicas e biológicas dos solos cultivados.

Os efeitos benéficos são observados quando ocorre freqüência de sua aplicação. A cobertura do solo com adubos verdes, proporciona menor radiação solar direta e assim menor oscilação de temperatura; favorece um maior aprofundamento das raízes; aumento no teor de matéria orgânica e nutrientes; aumento do nitrogênio (N) disponível, devido à fixação do N2 atmosférico pelas leguminosas; manejo ecológico de pragas e doenças, equilíbrio dos microorganismos alterando a composição da fauna e flora do solo.

Efeitos da Adubação Verde nas Propriedades do Solo

Os pomares paulistas, em sua maioria, localizam-se em solos de textura média a arenosa, com teor de argila inferior a 35%. As práticas de preparo do solo com aração e gradagem para implantação de pomares, ocorrem na maioria das vezes nos períodos chuvosos, expondo o solo às intempéries e aumentando os riscos de erosão. Estas práticas, quando mal empregadas, levam à degradação do solo, tornando-o imprestável ao cultivo, devido à desagregação superficial, facilitando o transporte e compactação do solo, reduzindo a infiltração e a retenção de água no solo, aeração, a disponibilidade de nutrientes e desenvolvimento de raízes, ou seja, o uso inadequado do solo, está destruindo nossas áreas agricultáveis.

Efeitos químicos

A fertilidade do solo é bastante influenciada pelos efeitos dos adubos verdes, tais como: aumento do teor de matéria orgânica do solo, aumento da disponibilidade de macro e micronutrientes em formas assimiláveis pelas plantas; auxílio na formação de ácidos orgânicos fundamentais ao processo de solubilização dos minerais; diminuição nos teores de alumínio trocável; elevação do pH do solo e consequentemente diminuição da acidez (principalmente pela ação das leguminosas), além de sistema radicular profundo com alta capacidade de reciclagem e mobilização de nutrientes lixiviados (K, Ca, Mg e NO3) ou pouco solúveis (P e Mo).

Efeitos físicos

Os efeitos dos resíduos dos adubos verdes são função da qualidade, quantidade e do tipo de manejo dado ao material, bem como dos fatores climáticos e das características específicas do solo. A estrutura, capacidade de infiltração e retenção de água, consistência, densidade, porosidade, aeração e condutividade elétrica, são algumas características que sofrem influência direta dos resíduos.

Efeitos biológicos

A presença de material orgânico no solo é determinante na atividade e população dos microorganismos, uma vez que a matéria orgânica é, antes de mais nada, fonte de energia para os organismos do solo. Em solos manejados no sistema convencional (pulverização do solo com grades, deixando-o desprotegido), observa-se o menor desenvolvimento de microorganismos, devido às constantes oscilações de temperatura e umidade do solo. Já no plantio direto observa-se maior e mais profunda distribuição de raízes e nódulos, pelo fato de as plantas e os organismos simbiontes estarem menos sujeitos a perdas d’água e a oscilações térmicas, o que significa maior estabilidade na fixação do nitrogênio.

Efeitos alelopáticos

A alelopatia pode ser definida como sendo todas as interferências desencadeadas entre plantas e microorganismos, provocadas pela liberação de substâncias químicas por eles elaboradas, através dos tecidos vivos ou mortos. Compreende, portanto, efeitos benéficos e prejudiciais, provocados por um organismo sobre outro.

Efeitos indiretos

Além dos efeitos citados, os adubos verdes também são importantes para a apicultura, ou seja, das diferentes plantas utilizadas, algumas produzem grande quantidade de néctar e pólen, que são aproveitados pelas abelhas ou inimigos naturais das pragas dos citros.

Estas plantas atraem e abrigam uma série de insetos benéficos (inimigos naturais) que controlam as pragas dos citros.

Tratos Culturais dos Citros

A cultura cítrica depende de uma mecanização crescente, tanto no período seco quanto chuvoso, sendo normal a passagem das máquinas por no mínimo de 10 a um limite superior a 20 vezes por ano. Esta movimentação leva à formação de camadas compactadas.

A boa estrutura do solo, contribui para o movimento adequado da água e do ar. A passagem abusiva de máquinas no pomar ou a pulverização da camada arável por implementos agrícolas são prejudiciais à manutenção da estrutura adequada. A incorporação e/ou manutenção da matéria orgânica no solo é essencial para manter uma boa estrutura, além de contribuir para reduzir o risco de lixiviação de cátions, particularmente de potássio, em solos arenosos.

Em uma citricultura moderna, onde se preconiza o uso adequado de fertilizantes, mudas selecionadas, bom manejo de pragas e doenças, a produtividade estará sempre aquém do possível se práticas de manejo não forem adotadas no sentido de eliminar ou impedir a formação de camadas compactadas no solo.

Os adubos verdes comportam-se como uma planta daninha no pomar cítrico, pois podem competir por água, nutriente, sol e pelo espaço aéreo e do solo. Quando bem usados, entretanto, esses inconvenientes pesam relativamente pouco, sendo compensados pelas vantagens que seu cultivo apresenta.

Espécies para Adubação Verde

Devem ser escolhidas para esta prática, espécies que produzam grande quantidade de matéria seca, resistentes ao ataque de pragas e moléstias, que possuam sementes uniformes e de bom poder germinativo, com exigência relativamente baixa quanto ao preparo e fertilidade do solo, de rápido crescimento, precoce, de fácil manejo, de sistema radicular profundo e que dispensem tratos culturais.

As espécies utilizadas como adubo verde se dividem em plantas de verão, normalmente leguminosas plantadas no início das chuvas e manejadas até o final das chuvas e as de inverno, (leguminosas e gramíneas), plantadas no final das chuvas e manejadas quando em pleno florescimento.

Espécies de verão mais utilizadas em citros














Crotalária breviflora (Crotalaria breviflora)













Crotalária juncea (Crotalaria juncea L.)















Crotalária spectabilis (Crotalaria spectabilis Roth.)














Guandu (Cajanus cajan L. Millsp)












Guandu Anão (Cajanus cajan L. Millsp)















Mucuna Preta (Stizolobium aterrimum = Mucuna aterrima)














Mucuna Anã (Mucuna deeringiana ou Stizolobium deeringianum, Steph e Bart = Mucuna pruriens)















Labe labe (Dolichos lablab L. ou Lablab vulgaris Savi)












Feijão-de-porco (Canavalia ensiformis (L.) DC.)













Milheto (Pennisetum glaucum)


Espécies de inverno recomendadas para citros














Aveia Preta (Avena strigosa Schreb)













Nabo Forrageiro (Raphanus sativus L.)















Amendoim Rasteiro (Arachis sp)


Plantio de Adubos Verdes

Dependendo da fase em que se encontra o pomar, algumas informações técnicas devem ser observadas:

Na reforma de pomares

É a hora para movimentar o solo e corrigir eficientemente a acidez e a compactação. Após a limpeza da área, de posse da análise química do solo, se necessário, deve-se proceder a aplicação de corretivos e gesso agrícola, preparando o solo com subsoladores, arados e grades já levantando as curvas de nível na área. Após toda movimentação necessária, procede-se a semeadura de espécies que propiciem boa cobertura do solo, produção de fitomassa e com sistema radicular agressivo.

Pomar implantado

Antes da semeadura, deve-se proceder a inspeção do pomar, controle das pragas e doenças, bem como a aplicação de uma das parcelas da adubação e controle de plantas daninhas nas linhas de citros. Na escolha da espécie a ser plantada, deve-se levar em conta o porte e o hábito de crescimento, evitando que esta provoque sombreamento e competição com as plantas de citros.

Pode-se optar por plantio rua sim, rua não; intercalando uma rua com espécie de porte alto e outra de porte baixo (guandu ou crotalaria e lab-lab ou feijão-de-porco); plantio somente na metade de cada rua.

Semeadura de Adubos Verdes

Para a semeadura dos adubos verdes em pomares com plantas novas, o uso de grade leve é aceitável, pois as raízes dos citros ainda não atingiram a área intercalar, mas em plantas adultas lista prática poderá ser prejudicial. Caso seja necessário fazer uma escarificação, esta deverá ser superficial, apenas para quebrar a camada compactada da superfície e eliminar plantas invasoras. Nos próximos plantios recomenda-se adotar técnicas de plantio direto, adaptando o disco semeador com o tamanho das sementes.
Normalmente, não se utilizam adubação e cultivadores para os adubos verdes, por economia, mas estas respondem bem à adubação PK e solos corrigidos.





















Seqüências Recomendadas para Utilização dos Adubos Verdes em Citros

- Plantio convencional de adubos verdes em novembro/dezembro e manejo com roçadeira ou triturador em março/abril, deixando o material sobre a superfície do solo durante o inverno e plantio novamente em novembro/dezembro;

- Dessecamento do mato com herbicidas nas entrelinhas em agosto/setembro e plantio direto de adubo verde em novembro/dezembro com manejo em março/abril.

- Plantio de espécie de inverno (nabo forrageiro) em abril/maio. Em setembro/outubro procede-se o dessecamento, com herbicidas, da Brachiária estabelecida nas entrelinhas e em novembro/dezembro, procede-se o plantio direto de leguminosas, manejando com roçadeira ou o triturador em março/abril, prosseguindo novamente com o plantio direto de espécies de inverno ou deixando o material sempre sobre a superfície do solo.

Manejo dos Adubos Verdes

O manejo dos adubos verdes deve ser efetuado logo após o pleno florescimento, época em que o material não se encontra muito fibroso ou maduro e está no auge de acumulação de nutrientes. Após este período, os efeitos podem tornar-se mais prejudiciais que benéficos, devido à imobilização temporária do nitrogênio pela relação C:N muito alta do material, ou seja, para a transformação ou degradação de material fibroso e rico em celulose, hemicelulose e lignina os microorganismos no solo consomem muita energia (nitrogênio) do solo.

Resultados obtidos

Os resultados dessa prática agrícola têm demonstrado que a adubação verde, quando adequadamente escolhida, conduzida e manejada, além de proteger e conservar o solo, promove aumentos na produtividade das culturas anuais e perenes e propicia o controle do mato.




Data Edição: 04/08/2003
Fonte: Boletim Citrícola nº9, 1999, EECB

Raphael Chespkassoff

Raphael Chespkassoff

A Tv Boituva (lançada no dia 01 de maio) é um portal de vídeos, fotos, notícias e informações que tem o objetivo principal formar, informar e entreter. Temos uma equipe completa e equipamento de filmagens em Alta Definição possiblitando assim materias de maior qualidade para ser aprensentados e transmitidos em nosso portal Tv Boituva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.